segunda-feira, julho 20, 2009

Sou mais pessoa desde ti

Ainda o verde dos anos não me deixava reflectir sobre o que é isto da vida, já me efervescias a mente e me lembravas do que é viver.
Triste de quem vive em casa,
Contente com o seu lar,
Sem que um sonho, no erguer de asa,
Faça até mais rubra a brasa
Da lareira a abandonar!
Triste de quem é feliz!

Os teus textos ensinaram-me, moldaram-me, assim como ao mundo visto pelos meus olhos. Assim como à vida que me viveu.
Sou um guardador de rebanhos. 
O rebanho é os meus pensamentos 
E os meus pensamentos são todos sensações. 
Penso com os olhos e com os ouvidos 
E com as mãos e os pés 
E com o nariz e a boca.
Cravaram-me interrogações nas malhas racionais da minha mente. Levaram-me a questionar o determinado. E a negá-lo.
Hoje de manhã saí muito cedo, 
Por ter acordado ainda mais cedo 
E não ter nada que quisesse fazer...  
Não sabia que caminho tomar 
Mas o vento soprava forte, varria para um lado, 
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.  
Assim tem sido sempre a minha vida, 
Assim quero que possa ser sempre 
Vou onde o vento me leva e não me sinto pensar. 
Deram-me o entendimento das emoções, das angústias e incertezas, mostrando-me no espelho a naturalidade dos meus dilemas.
Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.
Sou mais pessoa desde ti, Pessoa.

1 comentário:

Angelo disse...

Pessoar, o melhor verbo para conjugar...