quarta-feira, maio 27, 2009

Mulher-cão de Paula Rego

Impõe-se a mensagem na posição
Imposta pela mão que subjuga
Olhas para cima, de baixo
Mãos assentes no chão
Colada ao medo sem fuga

Esbate-se o tom malsão
Cores sépia na verdade
Do pouco que vives sem dó
Garganta seca num nó
Corpo em curva, sem vontade

1 comentário:

Angelo disse...

Muito bom... rima,métrica,música e sentido. Fiquei rendido à mulher-cão.Beijo que rima com queijo.

PS: quem me dera rimar como tu!