sexta-feira, setembro 02, 2005

CamõeSempre



Esparsa sua ao
desconcerto do mundo


«Os bons vi sempre passar
no mundo graves tormentos;
e, para mais me espantar,
os maus vi sempre nadar
em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim

o bem tão mal ordenado,
fui mau; mas fui castigado.
Assim que só para mim
Anda o mundo consertado.»

Era já Camões, como muitos entretanto perceberam, uma alma iluminada, de atemporal actualidade e discernimento constante. Era ímpar na expressiva simplicidade dos seus versos, era um mar, um mundo... o que ainda hoje é, dia após dia, de novo e a novos...ou velhos... sempre a ensinar e muitas vezes a clarificar o que sempre lá esteve e não tivémos capacidade de ver ou perceber. Obrigada Camões!

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.