terça-feira, setembro 12, 2006

Desvio de Caminho


Nisto de se ser humano muito há de inexplicável... o domínio das emoções e reacções nem sempre acontece.
Respondam-me: o que explica a ruptura de fortes afinidades sem razão aparente e repentinamente, num sopro? O que determina o angustiante desgaste de elos a priori inquebráveis e os transforma em ligações frágeis e singelas não havendo ao que apontar como causa? Que força transcendente determina que o que hoje é conforto amanhã seja inquietação, e sempre sem encontrar explicação?
Não falamos de desentendimentos, conflitos, iras ou outro agravo. Falamos de desvio de um caminho a dois, ou a três, ou a quatro, em plena unidade e sintonia que, de repente e tristemente, se ramifica, perde a coesão e a cumplicidade e nos leva a um destino onde impera a sensação de perda.
E é intensa a angústia, é doloroso o esvanecer dos laços que não se querem perder.
E nos momentos em que os caminhos parecem voltar a unir-se, ah, é tão imensa a vontade de os eternizar! Mas, sem qualquer aviso, logo parece que outros momentos nos conduzem a diferentes moradas. E porquê? Não sei. Respondam-me.
Até lá, ainda acredito e desejo que venhamos a percorrer o mesmo trilho, juntos, com a harmonia e o prazer que outrora sentimos, com a sensação de que cada minuto ou hora é pouco para partilhar o que somos e temos, e a certeza de que, num fugaz olhar, seremos capazes de transmitir ou sentir o que cada um de nós sente ou pensa.

7 comentários:

Arpedro disse...

Fico a pensar no que te passará pela mente. Que perda ou ausência foi/é essa?
As verdadeiras amizades resistem a tudo. Esforça-te por confirmar isso. Não sei bem do que estou a falar, nem sei do que falas tu. Ainda assim...

sandra disse...

Falamos ambas do mesmo, mas sentindo-o de forma diferente, parece-me. Não tenho a tua segurança e objectividade, bem sabes.
Um beijo para a minha Boroboleta e continência à Sr.ª Sargento (também me cheira aqui a esquizofrenia...:) )
Ah! E claro, mil carícias para a Borboletinha Jr.!

Arpedro disse...

Não percebi a esquizofrenia.

sandra disse...

Esquece lá isso.

Lua Obscura disse...

Pois olha, eu então não percebi nada!!!!!
Andam cá com mistérios e segredinhos, que eu estou magoadíssima.
Lesse isto antes, já não levavas as lindas rimas.
Pois olha, ADEUS, são o elo mais fraco!!!!
Vou ali para o meu lugar, com licença Sra. Professora, com licença.
Esquizofrenia? Quem, quem? Quem sofre, quem Tem?
EU MELHOR QUE NINGUÉM!!!!!!

d. disse...

Isso está sempre a acontecer... Tudo é impermanente! O segredo está em sentir a eternidade na impermanência!


Para sempre é muito tempo.
O tempo não pára!
Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
Mário Quintana

beijinhos

sandra disse...

Gostei da «eternidade na impermanência». E da citação também. Permanente e eternamente te agradeço a dica! ;)
beijinhos