sexta-feira, janeiro 23, 2009

Genuín(a)idade

Que se pretende num abraço amigo?


Que se pretende com o involuntário olhar?


Que se pretende na impensada palavra?


Que se pretende a contemplar o mar?


Que se pretende do belo?


Que se pretende de aqui estar?


Que se pretende no beijo sentido?


Que se pretende do apaixonar?


Que se pretende na entrega dos amantes?


Que se pretende do simples sonhar?

Nada. Nada se pretende no genuíno gesto de dar.

1 comentário:

Angelo disse...

Já tinha saudade de ler coisas novas...