quarta-feira, julho 27, 2005



É sempre o caminho sugerido.

Sobre a firmeza da areia busca-se ali, no oceano, a pureza dos sentidos, o acerto na decisão, o discernimento ambicionado.

Está lá, embora nem sempre conspícuo. Há que oscultá-lo, tomá-lo na brisa emanada e perceber, por entre conchas e búzios, a natureza da razão.

1 comentário:

Bélinha disse...

Sandra,
parabéns pelo teu blog! Está lindo! Vou recomendá-lo! Mas parabéns sobretudo pela tua sensibilidade e expressão poética: as palavras na tua mão tornam-se em mel, pois são doces e deslizam, do frasco para as nossas bocas. E que delícia que é!

O teu lindo poema fez-me lembrar as palavras do grande Vinicius, que é qualquer coisa como o seguinte: mais vale viver triste acompanhado do que feliz sózinho. Creio que os teus versos cristalizam esta certeza, cada vez mais presente nas nossas vidas: de que não somos nada sem os outros; de que não vivemos realmente até vivermos o grande amor.

Um grande beijinho,
Bélinha.