sexta-feira, junho 08, 2007

(des)Entendimento


Dias de vento sem tempo a rimar

Dorme-se a tempo de o vento soprar

Leva com ele a palavra a dizer

Eles não ouvem

O grito que tem

Não chega a voz que os faça entender


Rica garganta a teimar não falar

Gente amorfa prefere calar

Gasta a palavra que tem a dizer

Conformada que está

A gentinha de cá

Não chega a voz que os faça entender


Diz o que pensa num balbuciar

Embrulham-se os tons na vez de afirmar

Não encontra a palavra que tem a dizer

Deturpada a mensagem

Mudou-se a imagem

Não chega a voz que os faça entender



1 comentário:

Angelo disse...

A tua voz, mesmo o teu balbuciar é perceptível...Mas as gentes de lá, não têm as palavras que o vento quer levar, as palavras deles são pesadas, balofas, estão gordas de vazio, ao contrário das tuas que são leves e que o vento gosta de soprar a rimar para os ouvidos dos de cá. Beijos do afisobrinho***